Dia do Padre: nação romeira e paroquianos rendem graças a Deus pelo sacerdócio dos padres da Basílica

Dia do Padre: nação romeira e paroquianos rendem graças a Deus pelo sacerdócio dos padres da Basílica

Categoria: Basílica

04/08/2020 Por: Jornalista Patrícia Silva- DRT 3815/CE


Neste 4 de agosto, dia de São João Maria Vianney, patrono dos padres, a nação romeira e os paroquianos da Basílica Santuário Nossa Senhora das Dores, de Juazeiro do Norte-CE, renderam graças a Deus pela ordenação da comunidade sacerdotal, especialmente, dos padres Cícero José da Silva e Antônio Romão (Toninho) que celebraram, respectivamente, 8 e 5 anos de sacerdócio.

Durante o dia, os padres receberam várias homenagens, mas o ponto alto da comemoração foi a missa das 19h, transmitida ao vivo pela TV WEB Mãe das Dores Juazeiro. A celebração foi presidida pelo padre Toninho e concelebrada pelos padres Cícero José, Paulo Borges e Cícero Gomes, da Basílica Santuário, e Rafael Felix, da Paróquia Nossa Senhora dos Milagres, de Milagres.

Na homilia, proferida pelo padre Cícero José, reitor da Basílica, foi destacado que a unção recebida no dia da ordenação, não é como um tesouro para ser guardado em um cofre. “O padre é ungido, consagrado, permanentemente, desde que permita que Deus o use. É preciso estender as mãos para Deus e para os irmãos. Se isso não acontece, a unção recebida para frutificar seca e resseca-nos, fazendo com que sejamos ásperos com Deus e com o povo”, disse.

O reitor ainda falou que, no exercício do ministério sacerdotal, é preciso que o padre seja muito cuidadoso para não se tornar legalista e sem misericórdia, ou transformar as comunidades em grupos ritualistas, afastando-as da realidade e tornando-as indiferentes diante das reais necessidades das comunidades.

Devido a pandemia do coronavírus, a celebração aconteceu sem a participação de fiéis dentro da Igreja, mas ao final, representando todos eles, Socorro Macêdo, Ministra da Eucaristia da Basílica, leu uma mensagem de agradecimento onde foram exaltadas as particularidades de cada padre da comunidade sacerdotal em que pode se encontrar a presença de Jesus: “Na alegria do padre Cícero José, que mesmo no meio da luta diária na condução da Basílica Mãe das Dores, abre aquele sorriso e diz: ‘quem está feliz, diga eu!’; na calma do padre Paulo Borges, que sabe escutar cada servo que dele se aproxima e dar conforto ao seu coração; no zelo do padre Toninho pelas celebrações litúrgicas, cuidando de todos os detalhes; e na disponibilidade do padre Cicinho. São servos abençoados. Para eles não existe hora marcada quando o assunto é necessidade de Deus. Cuidam do seu rebanho com o mesmo zelo ensinado pelo mestre, é a vida em doação. Por isso meus irmãos, amemos nossos pares, rezemos por eles que são, na terra, a expressão do amor de Deus”, enfatizou.

Ao fim da missa o padre Toninho agradeceu pelas todas manifestações de carinho recebidas.

Pastor com cheiro de ovelha

Inspirado nos ensinamentos do Papa Francisco, padre Cícero José, ainda na homilia, ressaltou que os padres devem ter o cheiro de ovelha, que é o cheiro de quem se consagrou para trabalhar pelo Reino de Deus.

“No dia da ordenação as mãos e a vida do Padre são definitivamente ungidas. Ele torna-se Sacerdote para sempre. Mas a partir do dia seguinte o Senhor continua a ungi-lo pelos braços do povo. Para isso é preciso estar sempre no meio do povo. É por Deus e para Deus, pelo povo e para o povo que o Padre é consagrado. Quando o Padre é consciente disso, leva por toda a vida o perfume do óleo de Deus e exala o aroma preferido por Ele e que deve ser o preferido de todo Sacerdote realizado: ‘o perfume, o cheiro de ovelha!’”, enfatizou.

Também neste dia, o padre Cícero José completou cinco anos a frente da Basílica Santuário Nossa Senhora das Dores.

Comentários:

Inscreva-se em nossa Newsletter