Cortejo fúnebre do monsenhor José Alves passa pela Basílica Santuário e Capela do Socorro

Cortejo fúnebre do monsenhor José Alves passa pela Basílica Santuário e Capela do Socorro

Categoria: Basílica

11/01/2021 Por: Jornalista Patrícia Silva- DRT 3815/CE


O cortejo fúnebre com o corpo do monsenhor José Alves de Oliveira passou, no fim da tarde desta segunda- feira, dia 11 de janeiro, pela Basílica Santuário Nossa Senhora das Dores e Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Juazeiro do Norte. Nos dois locais, fiéis rezaram e prestaram as últimas homenagens.

Lucenildo Lima foi um deles. A acolhida e missionariedade exercidas pelo monsenhor, segundo ele, foram suas marcas. Padres também acompanharam o momento. Na Capela do Socorro, aguardavam a passagem do cortejo o padre Cícero José, reitor da Basílica, e o padre Paulo Lemos, pároco de Santana do Cariri, que teve sua vocação influenciada pelo ministério sacerdotal do monsenhor José.

“Monsenhor José Alves se torna também para nós uma referência no trabalho de apoio as vocações. Ele que encaminhou vários jovens ao Seminário. Ele que durante muitos anos fez campanhas, junto as paróquias de Juazeiro do Norte e de outras cidades por onde ele passou, para ajudar na manutenção do Seminário”, recordou o padre Cícero José, enfatizando ainda a disposição que o monsenhor tinha em servir, pois, mesmo passando por momentos de enfermidade, nunca deixou de celebrar, fazendo isso até a proximidade dos seus últimos dias de vida.

Da Capela do Socorro o corpo do Monsenhor foi levado para a Paróquia Menino Jesus de Praga, onde será velado até amanhã, e sepultado, no interior da Igreja, após a missa das 9h.

Falecimento

O Monsenhor José Alves faleceu durante a noite do domingo, dia 10 de janeiro, aos 85 anos, vítima de insuficiência respiratória aguda. Desde o dia 7 de dezembro ele estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Dos 58 anos dedicados à evangelização através do ministério sacerdotal, 16 (1972-1988), foram exercidos como vigário paroquial da Basílica Santuário, auxiliando o Monsenhor Murilo de Sá Barreto nas atividades pastorais.

Biografia

(Por: Jornalista Patrícia Mirelly)

Monsenhor José Alves de Oliveira nasceu aos 21 de dezembro de 1935 no sitio Tapera, em Quitaiús, antigo São Francisco de Lavras da Mangabeira-CE. Estudou no Seminário Diocesano São José, em Crato, e no Seminário Arquidiocesano, em Fortaleza. Foi ordenado sacerdote aos 30 de setembro de 1962, na Matriz Paroquial de Nossa Senhora do Rosário, em Quitaiús, por Dom Vicente de Paulo Araújo Matos, terceiro bispo de Crato.

Tinha licenciatura plena em Filosofia, Psicologia e Sociologia (Convênio universitário Crato - Salvador, BA), além de especialização em Liturgia pela Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção (São Paulo, SP).

Dentre as funções assumidas ao longo do sacerdócio, foi vigário paroquial da Paróquia de Nossa Senhora das Dores (1962-1965), atual Basílica Santuário de Juazeiro do Norte; vigário ecônomo na Paróquia Santo Antônio (1965-1967), em Araripe; na Paróquia Nossa Senhora do Rosário (1968-1973), em Quitaiús, e na Paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Granjeiro, no mesmo período; vigário substituto na Paróquia de Nossa Senhora da Penha (1965), em Campos Sales, na Paróquia São Vicente Férrer (1971-1972), em Lavras da Mangabeira, e na Paróquia Nossa Senhora da Conceição (1989), em Mauriti, além de segundo capelão da Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro (1976-1989), em Juazeiro do Norte.

Também foi representante do Clero na Comissão Regional (1977 a 1979) e quando esta era composta pelos estados do Ceará, Piauí e Maranhão (1979-1980); coordenador diocesano de Liturgia (1980-2000), secretário do Conselho Presbiteral (1995-2000), assessor do Apostolado da Mãe Rainha (1999), coordenador diocesano da Pastoral do Dízimo (1999), diretor espiritual do Seminário São José (2005), membro do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores, com mandados de um e dois anos, respectivamente.

Era “pároco emérito” da Paróquia Menino Jesus de Praga, no bairro Novo Juazeiro, em Juazeiro do Norte, a qual ajudou a edificar nos idos de 1990. A Rua Padre José Alves, no bairro Socorro, na mesma cidade, foi uma homenagem aos bons frutos semeados pelo sacerdote. Seu testemunho e missão também lhe renderam o título honorífico de “monsenhor”, em 2012, concedido pelo Papa Bento XVI, hoje emérito, a pedido do então bispo diocesano Dom Fernando Panico.

Comentários:

Inscreva-se em nossa Newsletter