Beata Maria de Araújo - A Beata de Juazeiro do Norte

Beata Maria de Araújo - A Beata de Juazeiro do Norte

Categoria: Artigos

08/07/2020 Por: Pe. Gabriel Vila Verde


Esta é Maria Magdalena de Araújo, mais conhecida como a "Beata do Juazeiro". Lavadeira, analfabeta, negra. Fazia parte do grupo de beatas que auxiliavam o Padre Cícero, quando ele era um simples capelão. Começou a ter experiências ditas sobrenaturais como: visões, estigmas, falar em outras línguas, viagens místicas, etc. Em março de 1889, ao receber a Comunhão, viu a mesma se transformar em sangue, fato este que se repetiu por muitos meses, na presença de padres, médicos e leigos, gerando muita polêmica. Por causa desse acontecimento, Padre Cícero experimentou o calvário. O suposto milagre foi aceito como "divino" pela primeira comissão diocesana, mas o Bispo de Fortaleza não aceitou o resultado e nomeou uma segunda comissão. Esta avaliou o caso como um "embuste", ou seja, uma farsa. Ameaçado de suspensão, Padre Cícero foi convidado a colocar toda a culpa na beata, mas ele se recusou. Os dois foram severamente punidos. Um padre da época chegou a escrever um livro, onde ele dizia que Maria de Araújo era um "produto do cruzamento de duas raças desprezíveis (negra x indígena), uma pessoa caquética, sem nenhum brilho nos olhos, com dentes lanianos, bochechas gerientas, boca cocóstoma (mau cheirosa) e alma execrável". Quando ela morreu, seu corpo foi sepultado na Capela do Socorro, mas seu túmulo foi violado e o corpo desapareceu. Até hoje não se sabe quem fez isso, nem onde colocaram seus restos mortais.

 

Comentários:

Inscreva-se em nossa Newsletter